Alta homocisteína e perda auditiva.

A perda auditiva é considerada normal no envelhecimento, mas estudos recentes indicam o contrário.

Pesquisas publicadas nos últimos dois anos identificaram uma causa subjacente de perda auditiva não considerada rotineiramente pelos médicos.

Esses achados revelam que a perda auditiva relacionada à idade envolve danos não apenas às células da própria orelha, mas às células nervosas que suportam a audição.  Isso sugere que estratégias comprovadas de proteção do sistema nervoso também podem ser benéficas para a audição.

Mais importante ainda, revela que a homocisteína elevada – associada a condições cardiovasculares e neurológicas – também contribui para a perda auditiva.

Felizmente, a pesquisa mostra que a suplementação com folato ajuda a reduzir a homocisteína, além de proteger contra os danos que ela causa.

Isto representa uma nova abordagem para abrandar potencialmente a perda auditiva.

Uma causa inesperada de perda auditiva

A perda auditiva neurossensorial, que é o tipo associado ao envelhecimento, reduz a capacidade de ouvir sons fracos e, ao mesmo tempo, faz sons mais altos abafados.

A descoberta de que esse tipo de perda auditiva é causada por danos às células nervosas, bem como às células que emitem sons no ouvido, levou os cientistas a procurar fatores comuns à perda auditiva relacionada à idade e à degeneração cerebral.

Um artigo publicado em 2017 relatou as crescentes evidências epidemiológicas de uma forte associação entre homocisteína elevada e perda auditiva.

O estudo de 2017 mostrou:

  • A homocisteína plasmática total elevada está fortemente associada à perda auditiva relacionada à idade.
  • Doenças genéticas raras que causam altos níveis de homocisteína também estão fortemente associadas à perda auditiva neurossensorial.
  • Estudos em animais demonstrando que altos níveis de homocisteína – bem como deficiências em vitaminas necessárias para eliminar a homocisteína – produzem o tipo de perda auditiva observada em pessoas idosas.

Esses achados reúnem uma relação clara entre perda auditiva e homocisteína. Eles também destacam o papel da suplementação nutricional como um meio potencial de prevenir a surdez relacionada à idade

Níveis ideais de homocisteína devem ser inferiores a 8 μmol / L.

De Clyde Simmons – Revista Life Extension Abril de 2018

 

“Na minha prática de consultório é muito comum e gratificante reduzir os níveis de homocisteína somente com suplementação e sem medicação. Prevenindo doenças e lutando por um envelhecimento com mais qualidade/felicidade, e menos aparelhos auditivos”. Dra.Paula Voss.